Plantão
Saúde

Vacina da gripe fica restrita a grupos prioritários em 4 cidades da região de Campinas

Publicado dia 05/06/2017 às 15h17min
Indaiatuba e Sumaré mantêm orientação inicial da campanha. Hortolândia e Americana ampliaram a cobertura dos grupos de risco. Campinas abriu vacinação para todos.
<p class="\\&quot;content-text__container" theme-color-primary-first-letter\\"="" data-track-category="\\&quot;Link" no="" texto\\"="" data-track-links="\\&quot;\\&quot;" style="\\&quot;box-sizing:" inherit;="" margin:="" 0px;="" padding:="" border:="" font-style:="" font-variant:="" font-weight:="" font-stretch:="" font-size:="" 1.25rem;="" line-height:="" font-family:="" vertical-align:="" baseline;\\"="">Diferentemente de Campinas (SP), as outras quatro maiores cidades da região - Americana (SP), Hortolândia (SP), Indaiatuba (SP) e Sumaré (SP) -, optaram por não ampliar a vacinação contra gripe para todos os moradores. O motivo é a falta de vacinas para atender a essa demanda.
A medida de liberar a vacinação para toda a população do Brasil foi divulgada pelo Ministério da Saúde na sexta (2) e é válida somente para este ano. No entanto, compete aos municípios a decisão de adotar a imunização para todas as pessoas, ou não. A campanha de vacinação termina na próxima sexta (9).
A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo não acatou a recomendação, mesmo assim Campinas anunciou na última sexta que a vacina está disponível nos 63 centros de saúde da cidade para toda a população [Veja os endereços]. Das quatro maiores cidades restantes, Hortolândia informou que ampliou a área de abrangência dos grupos de risco e Americana também está vacinando mais pessoas. [Veja os detalhes dessas cidades, abaixo]
Quem deve tomar a vacina
Na campanha nacional, fazem parte dos grupos de risco: bebês acima de 6 meses de idade, crianças até 5 anos incompletos, idosos, gestantes, mulheres que fizeram parto há menos de 45 dias, professores e profissionais da saúde.
A vacina desenvolvida este ano protege contra gripes A (H1N1 e H3N2) e B. A imunização é anual porque depende sempre dos tipos de vírus em circulação no país. Pessoas com doenças agudas graves e/ou febre devem esperar a melhora do quadro para tomar a vacina. Não há problema em tomar a dose junto com outras vacinas, inclusive a da febre amarela.
Hortolândia amplia grupo de risco
Cuidadores de idosos, funcionários de creches e profissionais da Justiça passam a integrar os grupos de risco para tomar a vacina da gripe na cidade de Hortolândia. A cidade registra 35 notificações suspeitas de H1N1 dese o início deste ano. Dezesseis casos foram descartados e os demais seguem em investigação.
O balanço divulgado pela Vigilância Epidemiológica do município, divulgado no dia 1 de junho, aponta que a cobertura vacinal atingiu 89,54% dos moradores que fazem parte do grupo de risco, com 32.651 doses aplicadas. O objetivo é vacinar 36 mil pessoas na cidade. A cidade registra 35 notificações suspeitas de H1N1 dese o início deste ano. Dezesseis casos foram descartados e os demais seguem em investigação.
Veja quem pode se vacinar na cidade:
Idosos com mais de 60 anos
Trabalhadores da saúde
Gestantes
Puérperas (mães com bebês de até 45 dias)
Crianças com mais de seis meses e menos de quatro anos completos
Doentes crônicos
Professores da rede pública e privada
Polícia militar e civil
Bombeiros
Funcionários do Poupatempo
Funcionários dos Correios
Defesa Civil
Ministério Público (promotor)
Procuradoria Geral (procurador)
Defensoria Pública
Polícia Federal e Guarda Municipal
Doadores de sangue e de medula
Trabalhadores dos Tribunais de Justiça e Fóruns
Profissionais que trabalham com pessoas em situações de rua
Cuidadores de idosos
Auxiliar de classe e demais funcionários das escolas do ensino básico e superior
Funcionários das creches
Trabalhadores da limpeza urbana e coletadores de resíduos
Americana vacina mais pessoas
De acordo com a Prefeitura, a cidade vai seguir a orientação estadual de vacinar apenas as pessoas do grupo de risco, mas pode aumentar a abrangência da vacinação. Até a última sexta, o município imunizou 30.323 pessoas, de um total de 46.477 dos grupos prioritários previstos na campanha nacional.
Desde o dia 23 de maio, o município já tinha ampliado os grupos de risco, vacinando também portadores de doenças crônicas e professores das redes pública e privada.
Indaiatuba
O município de Indaiatuba vacinou, até a última sexta-feira, 80,32% das pessoas indicadas nos grupos de risco, que corresponde 33.282 doses. Ao todo, a cidade tem 41.438 pessoas com vacinação recomendada.
A cidade "irá seguir a orientação do Estado de SP e continuar a vacinação somente nos grupos prioritários, até segunda ordem", informou a Prefeitura.
Sumaré
Em Sumaré, a Secretaria de Saúde informou que a cidade imunizou 31.248 pessoas desde o início da campanha, atingindo, até esta segunda, 69,46% da cobertura vacinal para os grupos de risco, que corresponde a 44.988 moradores.
A vacina está disponível nas 23 unidades de saúde da cidade, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, somente para os grupos determinados pela campanha nacional.
Orientação estadual
A Secretaria de Saúde do Estado de SP informou ao G1, nesta segunda, que mantém a vacinação para o público-alvo da campanha e que já aplicou 9,4 milhões de doses, número abaixo da meta estadual de 10 milhões de pessoas.
Para ter condições de orientar a ampliação para toda a população, o estado precisaria receber mais doses do Ministério da Saúde, mas não se sabe se isso vai ocorrer. Aproximadamente 3,6 milhões de doses ainda estão disponíveis no estado e a população total é de 44 milhões de habitantes.
Fonte: G1,